Cine Tranqueira: XB – Galáxia Proibida

Espalhe!

Forbidden World
Direção: Alan Holzman
Elenco: Jess Vint, Dawn Dunlap, June Chadwick, Michael Bowen, Linden Chiles, Don Olivera
EUA, 1982

  XB- Galáxia Proibida (alguém me explique esse XB do título brasileiro) é mais uma produção oitentista de teor altamente trash produzida por Roger Corman que pega carona no sucesso de Alien. O primeiro foi Galáxia do Terror que também já resenhei no Cine Tranqueira AQUI. XB tem tudo o que as produções de Corman na época tinham direito: muita gosma, gore, monstro picareta, mulheres desinibidas e efeitos risíveis.

Roy Scheider genérico e Stormtrooper rejeitado

  O agente espacial Mike Colby, um genérico do Roy Scheider, está numa boa hibernando quando é despertado por seu fiel andróide Sam-104 (hahaha) porque sua nave está sendo atacada. Depois de dar cabo nos inimigos em uma maravilhosa batalha de navinhas com muitas luzes piscantes, Colby é avisado que suas férias foram canceladas e que vai ter que ir resolver uma treta no planeta Xorbia (o XB seria de XorBia? Hehehe). Azar o dele.

 No distante planeta existe uma estação orbital onde pesquisadores trabalham com uma espécie de ser mutante, criado a partir de experiências genéticas, que ameaça fugir do controle deles. Colby chega e, numa decisão sensata, quer acabar logo com o bichão, mas o responsável pelos trabalhos, como se espera, não deixa. Ele diz que a coisa tem sua utilidade e todo aquele blá-blá-blá tipico de cientistas de filme b. Claro que vai dar merda e o mais idiota dentre todos os idiotas do tal lugar deixa a criatura escapar. A coisa então faz suas primeiras vitimas e se transforma num terrível monstro mutante (que em nada lembra o monstro do cartaz acima) e ameaça a sobrevivência de todos na estação…

Isso! Não esconde não. Mostra o monstro furreca com todos os detalhes! Gênio!

 Embora isso não pareça incomodar muito a galera pois eles dormem tranquilamente, tomam sauna, e Colby até arruma tempo para transar com uma das assistentes e flertar com outra. Barbara (Chadwick) se joga para Colby desde sua chegada a estação enquanto Tracy (Dunlap, que lembra muito a atriz pornô brasileira Mayara Rodrigues) parece esquecer rapidamente o luto pelo namorado Jimmy (o boboca que soltou o monstrengo).Wel, se você é daquele(a)s que se incomoda com a calcinha que Sigourney Weaver usa quando é surpreendida pelo xenomorfo em Alien, nem quero imaginar a reação com a mulherada que aqui aparece constantemente com pouca ou nenhuma roupa, valendo-se das desculpas mais esfarrapadas tipo acordar e andar de camisola pelos corredores, tomar uma sauna para esquecer sofrimento ou tirar gosma do cabelo.

 Os personagens de Galáxia Proibida só foram superados em burrice depois pelos tripulantes de Alien Covenant. Temos, além do funcionário que solta o bicho deliberadamente, uma das personagens tentando dialogar com o bicho após este já ter matado dois residentes e outro passando por baixo dos tentáculos do mutante para acionar botõezinhos. Bom dizer que o monstro é meio paradão. As vitimas geralmente vão até ele ou então a morte não é mostrada com detalhes e só vemos a expressão aparvalhada das figuras.

Conversa com o monstro

  XB tem também uma das resoluções mais estúpidas e hilárias do cinema de todos os tempos. Evite as próximas linhas se não curte um spoiler:

 Descobrem que o monstro é fraco diante de doenças. Então um cientista vitimado por câncer coordena a retirada do tumor do seu peito, sem anestesia. Quem retira o tumor é Colby que não tem a minima ideia do que está fazendo. Terminada a operação, ele enfia o tumor na boca do monstro, que o devora e cai morto instantaneamente.


Galáxia Proibida é altamente recomendado para quem gosta de apreciar bagaceiras repletas de absurdos e defeitos especiais. Com uma trilha sonora irritante e uma maquiagem até competente, é diversão com o padrão Roger Corman de qualidade. E dura só 77 minutinhos.

 

Os demais tipos de espectadores devem passar longe

 

Cotação do cinéfilo cultzinho

Cotação do cinéfilo fã de bagaceiras

 


Espalhe!

Marc Tinoco

Um cara igual aquela série. Cheio de referências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *