Loading

wait a moment

CPR Esteve Aqui – Ney Matogrosso na Fundição Progresso

Espalhe!

Ney Matogrosso encerrou no Rio de Janeiro a turnê “Atento aos Sinais”, que ficou na estrada por cinco anos.

Cinco anos de turnê

Conferi nesse sábado dia 07 de abril o show de encerramento da turnê “Atento aos Sinais “ do ícone Ney Matogrosso, e que show!! Ney com seus 76 anos agitou a galera presente por quase duas horas de apresentação. Foi na mítica Fundição Progresso na Rua dos Arcos, ali pertinho do Circo Voador, outro mítico reduto da música, na Lapa. Depois de cinco anos e um mês na estrada com essa turnê, conforme o próprio Ney Matogrosso disse no show, a apresentação no RJ marca o encerramento dela. “Atento aos sinais” é também o seu 23º álbum solo de estúdio. Com 14 músicas o CD foi lançado em 2013. E ainda, a turnê resultou em um DVD ao vivo.

A primeira parte

A espinha dorsal do show é o álbum homônimo, no decorrer entram sucessos da grande carreira do Ney, que de show para show variaram ao longo desses pouco mais de cinco anos de turnê.
Com aquele atraso já esperado Ney e banda subiram ao palco. Foram ao todo 18 músicas, começando com duas canções agitadas do “Atento aos sinais”, “Rua da Passagem (Trânsito)”, de Lenine e Arnaldo Antunes e “Incêndio”, de Pedro Luís. Em seguida já inseriu o clássico “Vida Louca Vida” de Lobão, imortalizada por Cazuza e já gravada por Ney no “Atento aos Sinais – Ao vivo”. Entre umas trocadas de figurino e outras, Ney mandou mais três do “Atento aos sinais” “Roendo as unhas”, de Paulinho da Viola. “Noite Torta” e “A Ilusão da Casa”. Em seguida veio “Two Naira Fifty Kob”, cover de Caetano Veloso. Encerrando a primeira parte do show mandaram direto mais seis do álbum em turnê, começando com “Isso Não Vai Ficar Assim” de : Itamar Assumpção e fechando com “Todo Mundo o Tempo Todo” do ator e cantor nipo-brasileiro Dan Nakagawa.

O Primeiro Bis

Finda essa parte, que Ney Matogrosso anunciou ser o encerramento do show, a banda se retira e enquanto passa no telão a ficha técnica do show a plateia faz o tradicional rito de pedir bis. Ney foi acompanhado por uma baita banda de respeito formada por grandes nomes como Dunga (baixo), André Valle (guitarra), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão), além de Sacha Amback (direção musical e teclado), e nos sopros Aquiles Moraes (trompete) e Everson Moraes (trombone). Minutos depois eles retornam para o primeiro encore, e foi um tremendo extra que já valeria por si só a ida ao show. Foram três sucessos, “Amor” relembrando Secos & Molhados, “Poema”, belíssima composição de Cazuza que Ney gravou de forma irretocável e “Ex-Amor” de Martinho da Vila, todas cantadas em coro pelo público.

O Segundo Bis

Por fim, Ney sai mais uma vez e as luzes se apagam, acontece o único problema técnico mais sério da noite, um tilt no gerador e fica sem luz por mais tempo do que o esperado, alguns minutos. A casa não aguentou as luzes e pisca pisca do show no Ney. Algumas (poucas) pessoas não entenderam o aviso de que a banda retornaria e foram embora, devem ter ficado putos, porque logo Ney e sua banda retornaram para mais um bis e apresentaram a linda “Astronauta Lírico” de Vitor Ramil e Marcos Suzano e finalizaram com “Beijos de Ímã” composição de Jerry e Alzira Espíndola e que também faz parte do “Atento aos sinais”.

76 Anos de Rebolado e Muita Voz

Ney Matogrosso ao vivo é realmente imperdível, impressionante como aos 76, quase 77, anos de idade tem disposição para rebolar até o chão e como sua voz de contratenor continua poderosa, quase a mesma coisa de décadas atrás. E ele estava bem humorado respondendo muito bem às reações do público. O cenário e o figurino são outro espetáculo, Ney aparece, por exemplo, sentado sobre um trono formado por dois módulos espelhados, em uma explosão de sons, cores e muitas luzes. É considerado o espetáculo mais tecnológico que já fez. Lembrando que ele também cuida dessa parte, já que é também iluminador de espetáculos, cuida da luz dos próprios shows e já fez o mesmo para espetáculos de Cazuza e Chico Buarque, por exemplo.

E mais uma vez comprovamos que Ney Matogrosso é um dos maiores cantores e interpretes do Brasil. Passeando por composições de artistas das mais variadas épocas e vertentes ele consegue fazer com que toda música que canta pareça que foi composta exatamente para ele cantar. E seu estilo e personalidade que desde a década de 70 contribuíram para colocar em tensão os valores e padrões dominantes dessa sociedade continuam muito necessários. Nunca sendo panfletário, suas interpretações dessas músicas escolhidas a dedo dizem muito do que precisa ser dito ainda hoje, como em “Rua da Passagem (Trânsito)”, “Todo mundo tem direito à vida. Todo mundo tem direito igual”.

A seguir confira o setlist completo do show e alguns vídeos, o primeiro é de outro canal, já os outros dois assim como as fotos a qualidade não é tão boa, porque não somos fotógrafos e filmadores profissionais tá? Mas, ao menos estávamos pertinho do palco.

  1. Rua da Passagem (Trânsito)
  2. Incêndio
  3. Vida Louca Vida
  4. Roendo as Unhas
  5. Noite Torta
  6. A Ilusão da Casa
  7. Two Naira Fifty Kobo
  8. Isso Não Vai Ficar Assim
  9. Freguês da Meia-Noite
  10. Não Consigo
  11. Tupi Fusão
  12. Samba do Blackberry
  13. Todo Mundo o Tempo Todo
  14. Amor
  15. Poema
  16. Ex-Amor
  17. Astronauta Lírico
  18. Beijos de Ímã

“Rua da Passagem (Trânsito)”

 “Amor”

“Poema”

The following two tabs change content below.

Dre Tinoco

Geográfo, viaja tanto que quase não tem tempo para escrever nessa josta. Mas, sempre dá um jeito de ver as postagens com a Natalie Portman

Latest posts by Dre Tinoco (see all)