Filmes Supervalorizados pelo Oscar

Compartilhe:
No dia 24 de Fevereiro tem a cerimônia do Oscar 2013 e até lá o CPR estará publicando alguns posts sobre aquela que é considerada a maior premiação do cinema.
 
Meu maior interesse no Oscar além de ver os artistas fora dos personagens é que me divirto torcendo e depois reclamando quando acho o resultado injusto, mas a verdade é que o Oscar é a opinião de um grupo, os velhinhos da academia, não é para levar a risca “o melhor filme é o que ganha Oscar”.
 
Pensando nisso resolvi publicar uma lista de filmes mais recentes ganhadores do Oscar de melhor filme que na opinião desse blogueiro foram supervalorizados pela academia e não mereciam essa honraria.
 

O Paciente Inglês (1997)

 
Dirigido por Anthony Minghella e baseado no romance de Michael Ondaatje, esse filme levou 9 estatuetas incluindo melhor filme, achei merecido o prêmio de melhor fotografia e o de melhor atriz coadjuvante, Juliette Binoche, que junto com Willem Dafoe  fazem os melhores personagens do filme, mas é chato e arrastado, não porque é lento e longo, mas porque a história não empolga e os personagens não te dão muito interesse,  mas tem aquela estrutura que a academia adora, grandes paisagens, trilha sonora que sobe nos momentos dramáticos. Enfim muita pompa. 
 

Titanic (1998)

 
Sei o grande sucesso de público que Titanic foi, mas para mim não merecia levar 11 Oscars, para começar não entendo com um filme com 243 erros de sequência, imagem etc. ganha Oscar de melhor edição. Dirigido por James Cameron, essa película levou o careca de melhor filme mesmo tendo um roteiro de novela “o mocinho pobre que se apaixona pela mocinha ex-rica que a família quer obrigar a se casar com ricaço esnobe” tem até direito a cena que colocam um colar na roupa do mocinho para incrimina-lo, o filme só fica bom quando o navio começa a afundar, nessa parte sim os prêmios foram merecidos, a parte técnica, mas de resto.

 

Shakespeare Apaixonado (1999)
 
Dirigido por John Madden ( O que ele anda fazendo?) levou 7 carecas. É uma comédia romântica sem sal, mas com equívocos históricos para dar e vender. Até hoje me pergunto Oscar de melhor filme? Como?  além disso Gwyneth Paltrow, parecendo um picolé de chuchu levou o Oscar de melhor atriz (eu prefiro ela como Pepper Potts) , vencendo, como 9 entre 10 nacionalista gostam de lembrar, Fernanda Montenegro, além de Cate Blanchet, quem na minha opinião deveria ter levado por sua arrebatadora Elizabeth. Para piorar a situação Shakespeare era interpretado por Joseph Fiennes, o homem que só tem um olhar.
 
Meu olhar 43

 Gladiador  (2001)

Eu até gosto desse filme,possui grande cenas passadas no coliseu, como a luta com os tigres, Russel Crowe está muito bem, mas já houve centenas de épicos sobre homens que se tornaram escravos e depois gladiadores, o enredo não trazia nada de novo e também estava repleto  de erros históricos, Além disso a fotografia mudava toda vez que as grandes criações dos efeitos visuais apareciam, é ser chato, mas para mim se o filme leva o prêmio de melhor,tem que ser o mais próximo possível da perfeição, fico chateado quando lembro que ele derrotou Traffic, aquele sim na época era inovador e com uma estrutura em que nada estava fora do lugar. Para mim clássicos de Ridley Scott são Blade Runner e Alien, Gladiador é bom.
 

Uma Mente Brilhante (2002)

 
 
Outra grande interpretação de Russel Crowe, junto com a maravilhosa Jennifer Connelly, que levou o Oscar de atriz coadjuvante por esse filme, (uma consolação por não ter ganho antes por Réquiem para um Sonho) aqui ela só chora e grita. O filme dirigido por Ron Howard é maçante, como a maioria dos filmes dele, mas têm aqueles clichês que a academia adora, a história real de um protagonista que tem uma doença, no caso Crowe interpreta John Nash um gênio da matemática diagnosticado como esquizofrênico. A primeira parte do filme até vai bem, depois fica só rodando sem sair do lugar, esse lugar são as visões de Nash, muitas delas criadas para o filme. Enfim típico filme do Oscar.
 

Chicago (2003)

 
Dirigido por Rob Marshall tirou  o Oscar de O Pianista de Roman Polansky e olha que esse musical  foi protagonizado por Renée Zellweger e seu biquinho, uma atriz que como cantora é uma péssima atriz,  no elenco palmas só pra Catherine Zeta-Jones e John C. Reilly , que protagonizaram os melhores números. Até acho o filme legalzinho, mas creio que a academia só o escolheu como o melhor porque estavam querendo ressuscitar os musicais, deveriam no ano anterior ter premiado Moulin Rouge que foi muito melhor.
 

Crash – No Limite (2006)

 
 
Esse filme foi dirigido por Paul Haggis, que escreveu o roteiro de Menina de Ouro, que não se tornou um dramalhão por causa da direção de Clint Eastwood. Como aqui o velho Clint não está, Haggis carrega no dramalhão mexicano com vária pessoas abrindo o berreiro e musica subindo o tom quando é para emocionar, além disso o roteiro que mostra a vida de vários personagens em situações envolvendo preconceito racial é cheio de clichês, muito previsível, você sabe o que vai acontecer em cada cena sem pensar muito, há personagens que não falam, discursam, etc. Esse filme surgiu do nada e levou melhor filme só para não premiarem Brokeback Mountain, o filme do Ang Lee sobre os Cowboys gays que ficou com melhor diretor.

Os Infiltrados (2007)

 
 
Sim, é um filme de Martin Scorsese, mas para mim ele já não é o mesmo de Taxi Driver, Touro Indomável e Os Bons Companheiros, ele merecia o Oscar por todos esses filmes, mas foi sempre preterido pela academia, sendo premiado por esse que é um filme de máfia que não chega aos pés dos seus anteriores do gênero. Matt Damon faz um infiltrado na policia e Leonardo DiCaprio o infiltrado na quadrilha do Jack Nicholson, o melhor do filme, eles ficam em um jogo de gato e rato, que era para ser interessante, mas cansa e ainda há espaço para um triangulo amoroso com a psicóloga de Vera Farmiga, o que não convence e só ajuda a chatear mais ainda. Por fim DiCaprio não convence como o cara explosivo que tem surtos e sai espancando geral. Joe Pesci convencia mais fazendo isso em Os Bons Companheiros e Cassino.
 
To Doidão!

O Discurso do Rei (2011)

O Discurso do Rei derrotou Cisne Negro, A Rede Social e Toy Story 3, não é um filme ruim, mas Oscar de melhor filme é um pouco demais, a melhor coisa são as interpretações, mais mérito de Colin Firth e Geoffrey Rush do que do diretor Tom Hooper. A história é sobre o Rei George e sua gagueira, o Oscar já premiou problemas mais hards.
 
É isso, peguei aqui filmes mais recentes para não ficar muito extenso, mas poderíamos falar de vários outros.
 
Bem, meus caros, como havia dito essa é minha opinião, antes que alguém venha me bombardear digo que não há certo ou errado, cada um tem a sua, montem suas listas e comentem.
 
Como disse, dia 24 tem o Oscar, até lá vamos ter outras matérias relembrando filmes e outros fatos!
The following two tabs change content below.

Dre Tinoco

Geográfo, viaja tanto que quase não tem tempo para escrever nessa josta. Mas, sempre dá um jeito de ver as postagens com a Natalie Portman

Latest posts by Dre Tinoco (see all)

Compartilhe: