O Tokusatsu e os quadrinhos nacionais

Espalhe!

Em 1987, Jaspion e Changeman eram lançados em vídeo no Brasil e mais tarde se tornariam dois grandes sucessos na TV brasileira, gerando uma batelada de produtos licenciados como álbuns de figurinhas, chicletes, revistas… Vou falar dessas últimas nesse post, revistas com heróis japoneses produzidas no Brasil.
 
 
A Ebal foi a primeira editora a publicar Jaspion e Changeman em quadrinhos. Tratavam-se meramente de adaptações de episódios das séries de TV com uma arte que…hã… deixava muito a desejar.
 
 
Logo a editora Abril, poderosa do mercado de quadrinhos na época, adquiriu os direitos dos personagens e lançou a revista O Fantástico Jaspion, que abordava o que seriam as aventuras de Jaspion após a vitória sobre Satã Goss. Podemos dizer que foi uma precursora dos fanfics
 
 
Com a arte seguindo o estilo Comics e até alguns roteiros interessantes, essa seria uma boa revista se NÃO ostentasse o nome Jaspion na capa, pois as histórias pouco tinham a ver de fato com o personagem. Nos primeiros números Jaspion lembrava mais o Peter Parker dos gibis do Aranha da mesma época.
 
A publicação trazia ainda histórias dos Changeman e dos Flashman. Maskman também teve sua primeira história publicada aqui. Até o Boomerman, notório aliado de Jaspion, teve histórias solo e crossover com os Changeman, onde namorava a Sayaka.
 
 
Falando em Changeman, a Abril ainda lançou o que seria sua versão SD do Esquadrão Relâmpago, os Change Kids.
 
 
O Fantástico Jaspion durou 12 edições ( com direito a fechamento de arco de histórias e tudo) e foi substituída pela Heróis da TV, capitaneada por Maskman, Spielvan, Black Kamen Rider e, mais tarde, Cybercop. A revista ainda trazia histórias de Jaspion e Changeman.
 
 
A qualidade dos roteiros caiu muito em relação a publicação anterior (não que aqueles fossem alguma maravilha). Provavelmente isso se deveu as poucas páginas da  Heróis da TV. Eram menos de 36 páginas para desenvolver DUAS histórias.
 
 
Sem Jaspion e Changeman, a Ebal resolveu investir em outras séries, lançando revistas de Goggle V, Machineman e Sharivan
 
 
Dessa leva, tivemos uma bizarra adaptação dos primeiros episódios de Flashman com os cinco Goggle V no lugar dos heróis do planeta Flash.
 
Pena que não foi pra frente. Queria muito ver a adaptação do episódio O Sucesso das Guerreiras com o gordinho Kijima  no lugar da meiga Sara, bwa-ha-ha.
 
 
A última investida da Ebal foi com Jiraiya e Jiban. A primeira revista do ninja adaptava o episódio As Sete Sombras com uma arte incrivelmente tosca. A segunda, realizada pelo mesmo estúdio que produzia O Fantástico Jaspion para a Abril, era melhorzinha com roteiro original e uma arte razoável.
 
Jiban teve uma edição com roteiro e arte abaixo da critica, onde enfrentava um cientista louco que absorvia poderes do sol.
 
 
Viciado nas produções orientais, comprei quase todos esses gibis. A verdade é que quase nada salva-se neles, mas são divertidos, mesmo que involuntariamente.
Bem, de todas as revistas lançadas naquela época com os heróis da terra do sol nascente, minhas favoritas foram as duas do Jaspion publicadas pela Bloch Editores, no formato fotonovela.
 
 
Bem, se você quiser ler/reler algumas dessas revistas, clica AQUI.
 

Espalhe!

Marc Tinoco

Um cara igual aquela série. Cheio de referências.