REVIEW- BATMAN VS. SUPERMAN: A ORIGEM DA JUSTIÇA

Espalhe!

Batman v Superman: Dawn of Justice
Direção: Zack Snyder.
Elenco: Ben Affleck, Henry Cavill, Amy Adams, Jesse Eisenberg, Diane Lane, Laurence Fishburne, Gal Gadot, Jeremy Irons, Holly Hunter.
EUA, 2016

TEM SPOILERS!

Batman vs Superman

Enfim, me dignifico a escrever sobre a mais recente obra do visionário e elegante Zack Snyder. Olha que eu até gosto de alguns filmes do cara (Madrugada dos Mortos, 300, Sucker Punch e até Homem de Aço, com seu final exagerado e a morte ridícula de Jonathan Kent), mas é difícil gostar de BvS, certamente o seu pior filme. Montagem confusa, roteiro fraquíssimo, personagens sem foco e diversos elementos jogados de qualquer maneira na trama, com vistas somente a preparar para os filmes de Mulher-Maravilha e Liga da Justiça, que não contribuem em nada para o andamento do longa.

Olho no olho

O filme até começa bem, mostrando pela enésima vez a morte dos pais de Bruce Wayne, dessa vez com inspiração total na sequência fabulosa de Cavaleiro das Trevas do Frank Miller, e as consequências da destruição provocada pela batalha entre Superman e Zod. Depois disso, o filme coloca questões interessantes o tempo todo em sua primeira metade, mas não as aprofunda. Entrega algumas boas cenas de ação no inicio, mas esquece de desenvolver o roteiro e seus personagens de forma decente. Perde-se completamente na segunda metade, quando algumas cenas chegam a ser risíveis de tão constrangedoras.

A ruindade trindade

Um filme com Superman, Batman e Mulher-Maravilha que consegue fazer com que eu não me importe com personagem nenhum? O Superman de Henry Cavill é praticamente um autômato. Como criar simpatia por um personagem tão distante. É bizarro quando o “herói” nem franze a sobrancelha depois de presenciar várias mortes em uma destruição causada por Lex Luthor. Triste constatar que o Cavill não é um bom Superman simplesmente por causa das escolhas do Snyder. O cara seria um bom homem de aço clássico, bem melhor que o Brandon Routh ou o Dean Cain pelo menos.

Veja só / Que tolice nós dois / Brigarmos tanto assim / Se depois, vamos nós a sorrir / Ficar de bem no fim

Ben Affleck até ficou visualmente bem como Batman e Bruce Wayne, mas nunca gostei do Batman assassino. Prefiro a versão que não mata. Para mim não faz sentido o Batman ser uma espécie de Frank Castle vestido de morcego e o Coringa continuar vivo. O Batman do Tim Burton também matava, mas até o palhaço do crime foi dessa para a melhor ali. Mas pior que ver um Batman matador foi ver um Batman obtuso, burro mesmo, manipulado por Lex Luthor e que parte para a ignorância sem pensar. Quando o Super chega pedindo tempo e o brutamontes vai pra cima, eu acabei escolhendo um lado ali apesar de não ir com a cara do kryptoniano. Ben Affleck ficou legal de Batman, mas sabe quem mais ficaria legal como esse Batman pitbull?

Estão dizendo por aí que a Mulher-Maravilha salva o filme. Ela até tenta. Sua participação é bem curta e não deu sequer para avaliar a atuação de Gal Gadot uma vez que ela só tem espaço pra semicerrar os olhinhos e fazer as caras e bocas que já conhecemos de Velozes e Furiosos. Prefiro esperar o filme solo da amazona pra analisar.

De onde você tirou esse escudo?

Lex Zuckenberg é insuportável. Um garoto mimado que tem problemas com o papai e aspira ser o Coringa. A culpa não é do ator, que fez o que o péssimo roteiro e o visionário diretor pediram. Fico só imaginando um encontro desse Lex com o Coringa do Jared Leto. Irmãos separados no nascimento.

Coringa cover

Apocalipse está no filme só para proporcionar a mega destruição final (Snyder deveria dirigir filmes de catástrofes e não de super-heróis). Impressionante como o monstro é malfeito. Em seus primeiros momentos ele parece uma grande gelatina humanoide, coisa dos piores efeitos dos anos 90, e depois evolui para um monstro genérico qualquer.

Abominável com fogo nos olhos?

A resolução do embate do morcego com o azulão me fez rir. Acho que o último filme de super-herói que teve alguma cena que me provocou riso de forma involuntária no cinema tinha sido Demolidor em 2003. Alguns acharam uma boa sacada do roteiro, eu achei simplesmente ridículo o Super gritando pela mãe pelo nome e o Batfleck, que minutos antes tinha metido uma privada pia na cabeça e estava prestes a meter uma lança de kryptonita no cu do sujeito, virar seu amiguinho instantâneo porque sua mãe também tinha o mesmo nome. Snydeus, por favor…

Depois de salvar Martha. O Super se vingará comendo a tia do Bátima

Outro grande momento só que não é quando o Super vai resgatar a lança de kryptonita (em outra cena risível) para matar a criatura, e a Maravilha tem que segurar o Apocalipse sozinha porque temos um Batman perdidão, sem preparo algum, pulando de um lado para o outro, porque o roteirista não imaginou um meio dele participar da luta com o bicho. Como será que esse cara vai enfrentar as ameaças que surgirão no filme da Liga da Justiça?

Batman ficou assim na luta com o Apocalipse

De resto as aparições de Flash, Aquaman e Cyborg não fariam falta, a sequência no deserto também não. Amy Adams estava lá pra ser salva pelo Super e fazer cara de choro e a morte do Superman não teve impacto nenhum. Me senti até o Ivan Drago quando o azulão esticou as canelas.

Enfim, um filme com mais, muito mais, defeitos que qualidades. E isso é bem grave quando se trata da trindade, que esperávamos ver juntos em um filme faz é tempo. Mereciam coisa bem melhor e a Warner vai continuar devendo a eles já que o negócio fez o sucesso esperado e Zack Snyder comandará a Liga da Justiça. Espere por mais referências bíblicas nada sutis, e muitas referências a quadrinhos simplesmente jogadas na tela, que ficam bonitas visualmente mas, em sua grande maioria, não tem peso algum na trama (o Mark Steven Johnsson também fez isso muito bem em Demolidor).

Que venha a Liga Da Justiça (ou seria o Sindicato do Crime?).


Espalhe!

Marc Tinoco

Um cara igual aquela série. Cheio de referências.