Review – Bling Ring – A Gangue de Hollywood

Compartilhe:

( The Bling Ring )

Elenco: Katie Chang,Israel Broussard, Emma Watson, Claire Julien, Taissa Farmiga, Gavin Rossdale
Direção:Sofia Coppola

EUA / Reino Unido / França / Alemanha / Japão, 2013

The Bling Ring é o filme de Sofia Coppola sobre uma gangue de adolescentes moradores de Los Angeles que roubam as casas de celebridades como Paris Hilton e Lindsay Lohan. Aqui o filme ganhou, como é comum em terras brasilis, um subtitulo chinfrim de “A Gangue de Hollywood”.
Sofia escreveu o roteiro do filme a partir do livro “Bling Ring” da jornalista Nancy Jo Sales que também escreveu um artigo para a revista “Vanity Fair” sobre a história, logo após a prisão dos adolescentes. Assim, o tema que Sofia aborda no filme é a atração de jovens ricos, entediados e de cabeças vazias pelo mundo da fama, que sempre habitou seus desejos. Ser atriz, modelo, estilista famoso, qualquer tipo de celebridade é o que moviam eles e acabam conseguindo seus quinze minutos de fama.
Pais relapsos que não estão presentes ou são tão cabeça de vento quanto os filhos são o outro ingrediente para entrarem nesse caminho.
Os nomes dos jovens foram trocados no filme. Os lideres Marc, que não é o Marc do CPR, ( Israel Broussard) e Rebecca (Katie Chang), que iniciaram os roubos com a casa de um conhecido de Marc, são na vida real, respectivamente Nick Purgo e  Rachel Lee. Os outros integrantes são Cloe (Claire Julien ) e as irmãs de criação Nick (Emma Watson) e Sam  (Taissa Farmiga), respectivamente Courtney Ames e Alexis Neiers e Tess Taylor.
Os meliantes pesquisavam na internet onde as celebridades estariam naquele dia, tipo filmando fora da cidade, em uma festa; pesquisavam também o endereço e então  se dirigiam ao local para dá o bote, sempre o alvo eram roupas, sapatos, óculos, perfumes, maquiagens e outros acessórios de grifes famosas como Chanel, Yves Saint Laurent, Tiffany, Alexander Mcqueen, etc. Em 2008 e 2009 teriam acumulado quase 6 milhões de dólares em objetos roubados, foram presos em 2010. Assaltaram as residências, além de Hilton e Lohan, outros famosos como Orlando Bloom, Rachel Bilson, etc.
Sobre o elenco e produção, Sofia Coppola, para mim já se firmou há muito tempo como uma diretora autoral e com muito talento. Em seus filmes ela filma com um olhar seu sobre os que estão em cena, ao mesmo tempo que consegue parecer que não é sua visão pessoal, pois os personagens ficam livres mostrando seus posicionamentos e pensamentos, é assim também em “Maria Antonieta” “Encontros e desencontros” etc. Dessa forma, em Bling Ring ela não se preocupa em julgar os personagens, mas se percebe (pelo menos os mais atentos) uma crítica a essa forma de vida comum nas sociedade hoje, a busca incessante pela fama por desejo de ostentação, ela que vive nesse meio, parece ter essa visão sobre o mundo a seu redor.
Sofia Coppola com os protagonistas em Cannes
O elenco não destoa, todos estão muito bem, ninguém é caricato, Sofia também é uma boa diretora de atores. Destaque para Emma Watson, é interessante que ela não é a principal do filme, não era a líder da gangue, mas a partir de um determinado ponto chama todas as atenções. É muito legal o cinismo na interpretação dela no momento da captura e quando dá depoimento após a prisão. Nick tem todo um discurso sobre como vai crescer espiritualmente com o episódio. Aliás, a cena em que ela dá entrevista na TV e fica sendo interrompida pela mãe é de um humor muito fino, uma das melhores cenas, mostrando que o desejo de aparecer veio de família. Assim, Emma prova que Hermione foi só o começo, não é a toa que tem sido elogiada em “Noé”, é uma das atrizes jovens mais promissoras sem dúvida.
Falando de algumas polêmicas sobre a repercussão do filme. Como esperado li coisas como “Mais uma vez o cinema trazendo valores errados”, “Glamorizando essas histórias”, o mesmo que alguns disseram de “Spring Breakers”. Isso acontece porque o publico médio só acha que algo não está sendo glamorizado se for tudo na cara, tem que aparecer alguém falando “Isso não se faz”, “Isso é errado”, se não tiver isso eles não entendem. O fato de um filme retratar a história de criminosos não significa que defenda isso, se você presta atenção no filme vai ver o retrato dos personagens que é construído, as vidas vazias que levam, se você acha isso legal, o problema é seu, não do filme, você que provavelmente gostaria de fazer um Big Brother da vida por aí e ter seus quinze minutos.
Outra fala clássica que ouvi é que o filme é parado, nem vou falar muito sobre isso, hoje o publico está muito  acostumado com correria e poeira nos olhos em cenas Massavéicas, não se ligam em cenas longas e diálogos. E olha que esse filme é curtinho. Sofia tem uma característica que é em seus filmes ter cenas que parecem que não está acontecendo nada, mas na verdade diz muito sobre a construção dos personagens.
Na verdade a crítica que Sofia faz resvala inclusive no vazio da vida das celebridades. Paris Hilton, que faz ponta no filme (na minha opinião a definição máxima de celebridade, citando letra de Marcelo D2Celebridade é artista, artista que não faz arte”), ela tem a casa roubada pelo grupo umas oito vezes, ela possui tantas coisas que não percebia as invasões. E ela deixava a chave da casa debaixo do tapete, hahaha, provavelmente por causa dos dias em que chegava tocada e às perderia. Paris disse que chorou ao ver as cenas do roubo de sua casa na película, cenas que ela permitiu que Sofia filmasse em sua própria humilde residência.
Outra curiosidade é que Lindsay Lohan que  aprontou todas, foi colega de prisão de uma das ladras de sua mansão, Alexis (Nick no filme).
Enfim, recomendo o filme, se você não dorme em filme que não tem sexo e violência ou efeitos especiais. Sofia Coppola mostrou competência mais uma vez, analisando o que levou esses mancebos ao mundo do crime.
É possível fazer um paralelo da história deles com a dos jovens do filme alemão “Edukators”, é o inverso, no alemão, eles invadiam casas de ricos, não para roubar, mas para alterar as coisas e escrever críticas, era um ataque ao consumismo e a desigualdade de uma forma lúdica, uma crítica ao sistema. Os jovens de Bling Ring, ao contrário não estão contra ninguém, querem é subir mais no sistema, ser como aqueles que estão roubando.
The following two tabs change content below.

Dre Tinoco

Geográfo, viaja tanto que quase não tem tempo para escrever nessa josta. Mas, sempre dá um jeito de ver as postagens com a Natalie Portman

Latest posts by Dre Tinoco (see all)

Compartilhe: