Espalhe!

Direção: Adam Wingard

Elenco: Nat Wolff, Margaret Qualley, Keith Stansfield, Willem Dafoe, Shea Wigham

EUA, 2017

É, amigos do CPR , nesse fim de semana estreou a aguardada versão americana de Death Note e vou dizer nessas mal traçadas o que achei da bagaça. “Ai meu buda, destruíram o Death Note”. “Perdi 1h40m da minha vida”…Calma, você não vai ler esse chororô por aqui. Até porque nunca li o mangá e nem vi o anime e só vi esse filme pelo hype e porque estava bem ali na Netflix, hehehe. Sou isentão.

Well, achei um filme bem medíocre, como quase tudo que é feito com aquela pegada teen preguiçosa de hoje. Leva a sério demais uma trama imbecil, que ficaria bem melhor contada com algum toques de humor negro. Então temos uma investigação policial risível, personagens extremamente mal desenvolvidos e questionamentos, até interessantes, tratados de forma extremamente rasa. A direção é bem frouxa e deixa tudo com aquela qualidade de telefilme dos anos 90, ou seriadinhos de super-herói da CW e da própria Netflix. As sequências de mortes parecem inspiradas em Premonição (que também acho bem nhé). Um Sam Raimi ou alguém da Troma teria feito horrores com elas.

O protagonista Nat Wolff parece querer imitar as melhores performances do genial Nicolas Cage, mas não consegue, né Moisés? Seu melhor momento é quando se assusta com o cramulhão e fica gritando desesperadamente, tal qual o Pernalonga no castelo do cientista maligno em Water, Water Every Hare. Nem vou falar do L (ator e personagem) porque vai que é doença.

De positivo, tem a gatinha Margaret Qualley. Ela é meio que uma mistura de Eva Green com a Kristen Stewart, e acho que tem futuro. Willem Dafoe como Ryuk é o outro ponto a favor do longa. O ex-Duende Verde ficou perfeito como o capiroto. Pena que apareça tão pouco…

Leia mais!  Síndrome Marisa Tomei Uma Ova

Enfim, Death Note é um filme meia-boca que seria bem mais bacana se não tivesse medo de meter o pezinho no trash ou ser um pouquinho politicamente incorreto pelo menos. Ficou um filminho nhé que some da memória assim que termina. Ou pelo menos é o que deveria acontecer, mas tem uma galera que ficou chorando as pitangas por causa da coisa nas redes sociais o fim de semana inteiro. Gente, ver um filminho ruim de vez em quando faz parte. Reclama, mais reclama com bom humor.

Menos, menos…

Leia outras matérias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *